segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Glorificam-No os sete céus e a terra



Glorificam-No os sete céus e a terra e todos os que estão neles. Nada existe que não Lhe dirija louvores. Mas vós não compreendeis esses louvores. E Ele é perdoador e compassivo.


sábado, 6 de outubro de 2012

O verde



Shaykh Muhammad Nazim Al-Haqqani Ar-Rabbani, 30 de Setembro de 2012.

Bismillahi r-Rahmani r-Rahim.
  
«Às gentes deste tempo: qual é a cor mais bonita? É o verde. Quem usa uma boina verde, um vestido verde; quem pinta as suas casas de verde; quem tem uma bandeira verde no seu caro – estes são vistos lá de cima e estão sob proteção. Não existe proteção para mais nenhuma cor, apenas para o verde.

Que toda a gente ponha bandeiras verdes nas extremidades dos seus carros. Se gostarem poderão por a antiga bandeira do Egipto, é verde. Os turcos também têm verde. Também podem por a bandeira turca. Devem por bandeiras verdes. Se o céu descer à terra, não serão tocados.

Quem usar vestido verde, boina verde, nada lhe acontece. Quem estiver atento ao uso de roupa verde, qualquer que seja a veste que ele/ela use deve ser verde. Verde é a proteção celeste. É proteção celeste. Portanto devem ter atenção ao verde. Que Allah nos perdoe. Fātihah.

O verde é a mais bela das cores. É a cor da vida, ela desceu dos Céus. Portanto eles devem ter atenção a isto. Fātihah.

Nenhum mal acontece a quem ama o verde em dunya (mundo material) e em akhirah (o Além). Esta e a nova instrução dos Céus: verde, é a cor da vida. É a cor do amor dos anjos. Sundus, sundus alakdhar (fina seda verde). É verde, é a cor mais bela dos paraísos. Sundus, portanto eles devem usá-la. O lenço na cabeça, seda verde. Podem bordá-lo, ou fazer nele trabalhos de agulha, o que desejarem fazer. Basicamente, devem usar boina verde. Não sofrem de dor de cabeça. Estes não sofrerão de dores de cabeça. Existem um anjo especial que os protege. Se tudo o que o céu tiver de punição descer à terra, não os atingirá.

Como isto, os coletes também deverão ser verdes. Se eles circularem esta cor, a densidade do mundo será levantada. Que eles tomem cuidado com isto. Eles devem amar a cor verde. Nela está o amor dos habitantes do paraíso – sundus akhdar / seda verde. Não é? Oh Allah, Vós sabeis. Há coisas que descerão sobre aqueles que não a amam. Existe um anjo especial que protege os que usam verde. Há um anjo que desce dos céus. Que eles tomem atenção a isto. Mulheres e homens, todos. Pelo menos deverão por ao peito o alfinete (broche) verde. Protege-os.

As senhoras devem preferir cores escuras. Cores escuras devem ser preferidas, deve ser a escolha das senhoras. Portanto eu não gosto de cores claras, não gosto de todo. Que Allah nos perdoe. Fātihah.

Se eles pintarem o exterior das suas casas, devem preferir o verde. Devem escolher para vestidos os verdes. Devem optar pela cor verde na mobília. Trar-lhes-á boa sorte. A cor verde dá boa sorte. Exceto o verde, as outras cores não dão sorte, é a cor da vida. Devem vesti-la, usá-la. Estas pessoas tornar-se-ão sortudas. As gentes deste tempo devem ter atenção a isto também. Não dizem “Ai a minha cabeça, ai os meus dentes”. Quem cobrir a sua cabeça com uma cobertura verde não sofrerá de dores de cabeça.

A moda mais recente no Islam no fim dos tempos é esta, esta é a nossa moda. Tudo além disto e algo mais recairá sobre eles. Deverão pelo menos por algo verde à volta do pescoço. Devem pelo menos por turbante/cobertura verde de algodão à volta da cabeça. Que os seus carros sejam verdes. Eu farei o verde ghalib / vitorioso. O verde previne a punição. Afasta a calamidade. Afasta acidentes e calamidades. Isto é também uma nova instrução. Tenham atenção a isto. Fātihah.

Os homens devem usar uma roseta verde ao peito. As senhoras devem usar pedras de cor verde, joias.
Se o verde prevalecer no mundo todos os problemas irão desaparecer e terminar. Oh Senhor, que nos possais perdoar. Que possais enviar-nos os Vossos servidores que nos ensinarão. Há proteção divina na cor verde.

Os carros também, eles têm algo para [por] as bandeiras. Devem por nele uma bandeira colorida de verde – com três crescentes, ou três estrelas e um crescente. Deve ser verde. Não terão acidentes nem calamidades. Que Allah nos perdoe.

O verde dá majestade, os anjos adoram-no. A cor do fogo – as pessoas deste tempo têm uma tendência para o vermelho. A sua moda é o vermelho. É fogo, queima-os. O verde dá conforto, dá beleza, dá paz, dá barakah (bênçãos). Tenham atenção a isto. Oh senhoras deste tempo, adornem-se com verde. Fātihah.

As verduras. Usar verduras que crescem na natureza, verduras que crescem na natureza pelo poder de Allah Todo-poderoso. Comam-nas, cultivem-nas e não tenham medo. A carne torna-vos selvagens. Os vegetais e as verduras fazem-vos amistosos e doces. Tornam-vos gentis, como damas, ou fazem de vós cavalheiros. Caso contrário sereis como animais selvagens. Allah…Que Allah nos perdoe.

Fātihah».

(tradução para português pela comunidade Naqshbandi de Portugal; link para vídeo original aqui: http://saltanat.org/videopage.php?id=5373&name=2012-09-30_tr_Yesil.mp4)

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Fé, Ações e Atributos



«O Islam funda-se em três pilares. O primeiro é FÉ, o segundo é AÇÕES, e o terceiro pilar é o carácter ou ATRIBUTOS.

FÉ – O coração crê naquilo que a mente nega. Isto deve ser entendido antes de tudo, ou então não há Islam. É inútil basear, ou colocar a nossa fé ao nível da mente, que duvida de tudo que não pode experienciar através dos sentidos.

AÇÕES – O crente deve agir com amor. Amor por Allah Todo-poderoso, pelo Seu Profeta (a paz esteja com ele) e pelo seu Shaikh. Nas suas ações o crente deve imitar ou copiar o comportamento do Profeta (a paz esteja com ele) e do seu shaikh, submetendo a eles todos os aspetos da sua vida. Não pode haver “departamentos secretos” na sua vida. Ele deve comportar-se, todas vezes e em cada situação, como se ele estivesse na sua presença.

ATRIBUTOS – O Alcorão diz-nos que não existem dois corações no peito humano. Podemos ser escravos do nosso nafs [ego], dos desejos do nosso ego, ou podemos servir o nosso Senhor. O carácter de um servidor de Allah é tal que ele é humilde. Ele considera sempre que necessita de seu Senhor, que é fraco e insuficiente perante o seu Senhor, e não inflado de conhecimento e de auto-importância».

(Tradução para português pela Comunidade Naqshbandi de Portugal. Cf. Mercy Oceans. The teachings of Maulana Abdullah al-Faizi ad-Daghestani by [Mawlana] Shaykh Nazim Qibrusi, 1980, p. 3)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

«Não há dano nem reciprocidade do dano no Islão»


Mawlana Shaykh Nazim criticou duramente quem, dentro do "mundo muçulmano" reagiu com violência após a publicação, no ocidente, do vídeo que ofendia a figura do Profeta Muhammad (que a Paz e as Bênçãos de Deus estejam sobre ele). Eis um excerto do discurso em que Mawlana Shaykh Nazim fala do assunto:


«As nações Muçulmanas levantaram-se, todo o povo se levantou e fez demonstrações agressivas [contra o vídeo que ofende o Profeta Muhammad – sws]. E como tal nós dizemos que o Profeta (sas) diz “Não há dano nem reciprocidade do dano no Islão.” Quem escuta as palavras do Profeta? Eles [as nações ditas “muçulmanas”] ouvem as palavras de shaytan [o diabo]. Esse cão [Mawlana provavelmente se refere a quem produziu o vídeo que ofende o Profeta Muhammad – sws] comeu porcaria e, por ele, milhões de pessoas saíram e espalharam-se pelas ruas. Eles não se espalharam pelo que está a acontecer nos países Muçulmanos, na terra de Sham [Síria]. “A terra de Sham é KinanatAllah” a casa do tesouro de Allah (Hadith Qudsi, dito sagrado). Porque esta reacção surge tão facilmente – por causa destes shaytans, por algo como isto – mas não surge reacção nenhuma por aquilo que acontece na Síria?

Vergonha sobre eles. Vergonha sobre quem provoca fitna [perturbações] nas nações Muçulmanas. Causar dano, quando o Profeta (sas) diz “Não há dano nem reciprocidade do dano, no Islão.” Vocês ouvem? Deixem que esse cão coma o seu próprio esterco. Porquê sujar o mundo com as palavras desse shaytan? Esse shaytan é um demónio, maldições virão sobre ele. Pelo que ele fez, milhões de pessoas ergueram-se a destruir e incendiar. Quer seja pelo bem da verdade ou não, não se fazem coisas que são proibidas no Islão: “La darar wa la dirar fi l-Islam”, ou seja “Não há dano nem reciprocidade do dano, no Islão.” Quem criou todo este mal é um cão imundo. Se ele comeu porcaria, nunca tal sujará o oceano… Assim que vocês se ergueram, de própria decisão, para responder-lhe desta forma, vocês fizeram com que a porcaria vos tocasse… que vos sujasse de Este a Oeste. O Islão tornou-se, aos olhos do mundo, como uma besta, uma besta que faz o mal e que ataca os direitos das pessoas.

Onde estão os Muçulmanos? Não houve uma pessoa que falasse deste honrado Hadith [dito profético]: “La darar wa la dirar fi l-Islam” [“Não há dano nem reciprocidade do dano, no Islão”]. O que é que vos deu permissão para queimar, para violar a propriedade das pessoas e para as magoar? E para os Muçulmanos, para nós, é proibido fazer o mal. “Não há dano nem reciprocidade do dano no Islão.” A Sharia [a Lei Divina] diz ao homem: a todos serão dados os seus devidos direitos. Os direitos mais severos a ser reclamados no dia do Julgamento serão os direitos dos não-Muçulmanos. Pedir-lhes perdão por os ter ofendido não será suficiente e eles portanto dirão “Oh nosso Senhor, nós não aceitamos as suas desculpas. Nós queremos tirar-lhes a sua fé, para que possamos aceitar as suas desculpas”. Os assuntos mais severos no Dia do Juízo serão estes. [eis a versão inglesa: «The harshest rights that will be exacted from a person, are the rights of... the rights of the non-Muslims. These ones will not forgive & will say "O our Lord we do not accept his apology. We will take of his faith to make us accept." The harshest matters on Judgement Day will be this»].

E portanto Muçulmanos, respeitem os não-Muçulmanos, a sua honra, a sua riqueza e as suas almas. Esta é a realidade. E como tal, ao longo dos séculos os não-Muçulmanos viveram nos países Muçulmanos, felizes e orgulhosos; mantendo as suas religiões de acordo com as suas crenças. Nem Igrejas, nem Sinagogas, nunca os Islão as tocou. A história testemunha a justiça no Islão. A pureza do Islão, a honra do Islão. Que os ensinou a agir assim [Mawlana está a falar dos “muçulmanos” que estão a mostrar o Islão como algo que “ataca os direitos das pessoas”]? Milhões de pessoas, como bestas, fizeram coisas que a poderosa Sharia os proíbe de fazer, ameaçando-os com o Dia do Julgamento, pois que o juízo mais duro estará sobre eles por oprimirem o Povo do Livro [ou seja, os Judeus e os Cristãos]…Tem de haver punição!

Onde estão os nossos eruditos? Não sabem eles estas coisas? Então, alguém como eu tem de falar. Alhamdulillah. Àquele que me honrou com idade avançada, e me ornamentou com razão e Islão e consciência. Especialmente as bombas que eles estão a fabricar, elas são proibidas logo à partida! Allah (swt) não aprova tal coisa, nem o nosso Senhor, nem o Seu Amado [o Profeta Muhammad sws]! E nem a consciência de quem quer que tenha uma consciência!

Oh Muçulmanos, deixem a mais proibida das coisas! Regressem ao caminho de Allah. O Senhor da Glória revelou aos seus Profetas (as) e especialmente ao Profeta (sas) do fim dos tempos. Ele ensinou-nos tudo. Mas nós não aprendemos nada! Nós só aprendemos aquilo que as pessoas descrentes e obscenas estão a fazer! E estamos a trilhar o seu caminho! Deus nos Livre! Existem verdadeiros Muçulmanos entre nós. Eles são homens de Allah! Se eles disserem Allahu Akbar, nada mais irá funcionar! Nem bombas, nem aviões, nem nada. Eles irão parar!

Onde estão os Muçulmanos? Onde estão os Muçulmanos? Não se pode prejudicar ninguém, nem se prejudicar a si mesmo! Olhem para a integridade do Islão, a dignidade do Islão, a dignidade dos Muçulmanos! Oh Muçulmanos, vocês aprenderam estas coisas dos tolos de entre os descrentes e os obscenos? Foi deles que vocês aprenderam isto e deixaram o caminho do Islão, as maneiras do Islão e tomaram o caminho deles! E, como tal, Allah (swt) pagou-vos pelas vossas próprias mãos!»

Eis o link para o vídeo integral do discurso, que foi traduzido parcialmente para português por nós: http://saltanat.org/videopage.php?id=5315&name=2012-09-24_ar_QisasGhayrilMuslimin.mp4

domingo, 30 de setembro de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Khâliq

Al-Khâliq

(O Criador)


«É Ele Deus, o Criador, o Produtor, o Modelador.
São d'Ele os nomes mais sublimes. [...]».

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Na gruta



Se não socorrerdes o Mensageiro, Deus o socorrerá como o socorreu quando os descrentes  o expulsaram, [...]. Estavam ele [o Profeta] e seu companheiro [Abu Bakr as-Siddîq] na gruta, e ele disse ao companheiro: "Não te aflijas, Deus está conosco." E Deus infundiu-lhe Sua tranquilidade e sustentou-o com tropas que vós não víeis e rebaixou a palavras dos descrentes. A palavra de Deus é a mais elevada. Deus é poderoso e sábio.

(O Alcorão, 9: 40)

A Excelsa Tariqa [Via espiritual] Naqshbandi é a única tariqa Sufi que descende de Abû Bakr as-Siddîq (r) - companheiro do Profeta (sws) mencionado no Sagrado Alcorão - através duma linhagem iniciática de Mestres que chega até Mawlana Shaykh Nazim, o actual guia mundial da Ordem. É transmitido que o Profeta Muhammad (sws) disse: «Tudo o que Allah pôs no meu coração, eu o pus no coração de Abu Bakr as-Siddîq». Abu Bakr as-Siddîq (r) foi o companheiro mais amado pelo Profeta Muhammad (sws), sendo também o primeiro khalifa (sucessor-vicário) do Profeta (sws).

Ver:
A cadeia Dourada dos Mestres Naqshbandi
Discurso sobre Abu Bakr as-Siddiq (r) por Hajja Amina Adil (r) 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Mutakabbir

Al-Mutakabbir
(المتكبر)

O Orgulhoso, O Supremo



«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador,
o Pacificador, o Protetor, o Poderoso, o Dominador, o Orgulhoso.
Exaltado seja acima dos que Lhe associam»


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Jabbâr

Al-Jabbâr
(الجبار)

O Constrangedor, o Dominador


«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador,
o Pacificador, o Protetor, o Poderoso, o Dominador, [...]»


sábado, 22 de setembro de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-'Azîz

Al-'Azîz
(العزيز)

O Poderoso, O Excelso


«E se tropeçardes, mesmo após receber as provas, lembrai-vos de que Deus é poderoso e sábio».

sábado, 15 de setembro de 2012

sábado, 1 de setembro de 2012

Mostra indulgência...



Mostra indulgência, recomenda as coisas honradas
e evita os ignorantes.

(O Alcorão, 7: 199)

O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. M. Challita, BestBolso 2011.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Muhaymin

Al-Muhaymin
(المهيمن)

O Protetor


«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador,
o Pacificador, o Protetor, [...]»

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Quem praticar uma boa ação...



Quem praticar uma boa ação, receberá dez vezes seu equivalente, e quem praticar uma ação má, receberá apenas o seu equivalente, e ninguém será lesado.


O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. M. Challita, Bestbolso 2011.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Quem salvar a vida dum homem...



Quem salvar a vida dum homem,
é como se tivesse salvo a vida de todos os homens.


O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. M. Challita, Bestbolso 2011.

domingo, 29 de julho de 2012

Deus perdoador e clemente



Aquele que pratica o mal ou falha para consigo mesmo e, depois, implora o perdão de Deus,
encontrará Deus perdoador e clemente.


O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. M. Challita, Bestbolso 2011.

Sede «Rabbani»!



Não é permitido a quem Deus concedeu o Livro, a sabedoria e o dom da profecia dizer aos demais: «Sede servos meus, não de Deus». O que pode dizer é «Sede senhores [kûnû rabbânîyyina] já que conheceis o Livro e o estudais».


Eis alguns discursos de Mawlana Shaykh Nazim sobre este versículo
e sobre o significato de Rabbani ("de Deus" / "divino" / "transcendente"):




[O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. de M. Challita, BestBolso 2011]

sábado, 28 de julho de 2012

Âmana r-Rasûlu...



285. O Mensageiro acreditou no que lhe foi revelado por seu Senhor. Todo crente verdadeiro tem fé em Deus, nos Seus anjos, nos Seus livros, nos Seus Mensageiros. Não fazemos diferença entre um Mensageiro e outro. Todos eles disseram: “Escutamos e obedecemos. Senhor, imploramos Teu perdão, e para Ti caminhamos.”

286. Deus nunca exige de alma alguma além de sua capacidade. Para ela, o que tiver merecido, e contra ela, o que tiver deixado de merecer. “Senhor nosso, não nos condenes quando esquecemos ou erramos. Não nos sobrecarregues como sobrecarregaste os que nos precederam. Senhor nosso, não nos imponhas fardos que não temos forças para carregar. Absolve-nos, perdoa-nos, tem pena de nós. És nosso protetor: dá-nos a vitória sobre os descrentes.”


Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. M. Challita, Bestbolso 2011

terça-feira, 24 de julho de 2012

O Versículo do Trono (ayat al-kursi)



Deus, não há deus senão Ele, o Sempre-Vivo, o Eterno. Nunca dorme, e nunca cochila. A Ele pertence tudo o que está nos céus e tudo o que está na terra. Ninguém pode interceder junto a Ele senão com Sua permissão. Conhece o passado dos homens e seu futuro. E de Seu saber, eles só alcançam o que Ele permitir. Seu trono abrange os céus e a terra, e Ele os mantém sem esforço algum. Ele é o Altíssimo, o Glorioso.

[al-Qur'ân, 2: 255]

O Alcorão. Livro Sagrado do IslãTr. M. Challita, BestBolso, 2011.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Aqueles a quem revelamos o Livro...




Aqueles a quem revelamos o Livro, reconhecem nosso Mensageiro como reconhecem os próprios filhos.


O Alcorão. Livro Sagrado do IslãTr. M. Challita, BestBolso, 2011.

Os que creem...



Os que creem e os que abraçaram o judaísmo e os cristãos e os sabeus, todos os que creem em Deus e no último dia e praticam o bem obterão sua recompensa de Deus e nada terão a recear e não se entristecerão.

[Al-Qur'ân, 2:62]

O Alcorão. Livro Sagrado do IslãTr. M. Challita, BestBolso, 2011.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Al-Fâtihah - Abertura



Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso
Louvado seja Deus, o Senhor dos mundos,
O Clemente, o Misericordioso,
O Soberano do dia do Julgamento.
A Ti somente adoramos. Somente de Ti imploramos socorro.
Guia-nos na senda da retidão,
A senda dos que favoreceste, não dos que incorrem na Tua ira, nem dos que estão desencaminhados.

[al-Qur'ân, 1: 1-7]

Ouvir: al Fatihah recitadada por Mawlana Shaykh Nazim

O Alcorão. Livro Sagrado do Islã. Tr. de M. Challita, BestBolso, 2011.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Mu'min

Al-Mu'min
(المؤمن)

O Fiel, o Protector



«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador,
o Pacificador, o Protetor, [...]»

sexta-feira, 29 de junho de 2012

«Para que serve o ego»


اعوذ بالله من الشّيطان الرّجيم ، بسم الله الرّحمان الرّحيم


O nosso ego não existe para que nos prejudiquemos. Não! Ele é como um cabo eléctrico sem a cobertura protectora. Ele pode magoar-vos. Se perguntardes “porque é que este fio perigoso está aqui dentro?”, e se o tirardes para fora do plástico, este deixará de ter qualquer utilidade, e tereis perdido esse enorme poder. O nosso ego é uma tão grande dádiva de Allah Todo-Poderoso.
O Profeta (S) disse que ele (o ego) é o vosso cavalo, que podereis cavalgá-lo para onde quer que quiserdes chegar. Allah Todo-Poderoso está a dizer “Usem o vosso ego e venham a Mim”, mas quando pedirdes para entrar na Divina Presença do vosso Senhor, Ele dirá “deixa o teu cavalo lá fora, e depois entra.”
O vosso cavalo é o vosso ego. Não há criatura mais poderosa que o vosso ego, nem há criatura mais útil. Ele pode levar-nos do nível mais baixo, ao mais alto. Ele é tão perigoso e tão poderoso, e o seu trabalho é tão importante. Nenhum outro meio poderá conduzir a humanidade do nível mais baixo ao mais alto. Ninguém entende. Esta importante montaria não vos foi concedida apenas para que ela coma, beba e se divirta. Não! O Sultão espera que a cavalgues e que venhas até Ele.

Mawlana Shaykh Nazim

Versão original em inglês: Mawlana Sheikh Nazim,
Mar de Plata/Malaga, SereSeres, 2008, p. 83.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Os 99 Nomes de Allah: as-Salâm

As-Salâm
(السلام)

A Paz, a Saúde, a Salvação



«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador, o Pacificador, [...]»

terça-feira, 8 de maio de 2012

Os 99 Nomes de Allah: al-Quddûs

Al-Quddûs
(القدوس)

O Santo



«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado [al-Quddûs], [...]»

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Al-Mâlik

Al-Mâlik
(الملك)

O Rei 



«É Ele Deus. Não há Deus senão Ele, o Rei, o Santificado, o Salvador [...]»

«Exaltado seja Deus, o verdadeiro rei»

«O Soberano do dia do Julgamento»

terça-feira, 17 de abril de 2012

Os 99 Nomes de Allah: ar-Rahîm

Ar-Rahîm
(الرحيم)

O Misericordioso


Nome, em forma superlativa, que deriva do termo "Misericórdia".

«Ele é misericordioso para com os crentes»


segunda-feira, 16 de abril de 2012

Os 99 Nomes de Allah: Ar-Rahmân

Ar-Rahmân
(الرحمن)

O Todo-Misericordioso, o Clemente


Nome, em forma hiperbólica, que deriva do termo "Misericórdia"
e abraça qualquer tipo de Misericórdia.

Nome que pertence unicamente a Allah
e não pode ser atribuído a ninguém além Dele.

«Chamai-O Deus ou chamai-O o Clemente [ar-Rahmân],
a Ele pertencem os nomes mais belos»


domingo, 15 de abril de 2012

Os 99 Belissimos Nomes de Allah

«A Deus pertencem os nomes mais belos. Chamai-O por eles»
(O Alcorão, VII, 180)




O Mensageiro de Allah (sws) disse:

«A Deus pertencem noventa e nove nomes - cem menos um -

só os memoriza quem entrará no paraíso»
(Bukhari e Muslim)

Ver a secção do blogue sobre Os 99 Belíssimos Nomes de Allah

Imagem aqui.

segunda-feira, 5 de março de 2012

Livros sobre Sufismo, por Mawlana Shaykh Nazim: download gratuito

اعوذ بالله من الشّيطان الرّجيم ، بسم الله الرّحمان الرّحيم


As Salam Alaykum!

Neste link (http://www.sufismus-online.de/BookFulltext) encontram-se preciosos livros de ensinamentos Sufis dados por Mawlana Shaykh Nazim, em pdf (download gratuito).

Em particular, encontra-se o importantíssimo e precioso título esgotado
Mercy Oceans.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Oração contra peso e violência


«SubhanimAllah,SultanimAllah, Nabî Muhammad, 'Alayhi s-Salam»


(Aquele que eu glorifico é Allah, Allah é meu Sultão, Muhammad é meu Profeta, que a Paz esteja sobre ele).

Mawlana Shaykh Nazim disse: «Esta oração serve para tirar [do mundo] todo o peso e a violência. Recitem-na. Se satanás a recitasse, até ele entraria no paraíso».

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

«Allah é Belo e ama a Beleza»

Suhbah / Discurso de Mawlana Shaykh Nazim
Lefke, 22 de Fevereiro de 2012

O nosso Senhor ama os que são belos. Ele mesmo é Belo. A Beleza Absoluta Lhe pertence. Ele ama a gente bela. “Ó Senhor, faz-nos a partir dos que são belos. Não nos faças feios.” “Ó Meu servo, és tu mesmo quem se faz feio”. Está a chegar essa directiva: sejam belos, Ó gente. Corram para a beleza, Ó gente. Isto é o que o vosso Senhor quer: “Eu sou belo e amo os que são belos. Eu não amo os que são feios.”

Ele diz: Quem são os feios? Eles são os maus, os que cometem más acções, que fogem para longe das boas acções – zulmat / trevas surgem nas suas faces. Uma pessoa feia não é aceitável. Allah não os ama. Ele ama os que são belos. O que faz de uma pessoa bela? Não é pó-de-arroz, blush, etc. Os que são belos são os servos puros e limpos que trilham o caminho que Allah ordenou. Aqueles que Allah ama e aos quais dá beleza – eles são vestidos por uma nova beleza e bem-estar, a cada hora. Cada acto rebelde contra Allah, ou seguir o seu próprio ego, torna a pessoa feia. Nem pó, nem blush, nada o pode evitar – nada poderá fazer dessa pessoa bela, novamente.

A beleza provém de Allah Todo-Poderoso, Ó gente. Sejam belos, não sejam feios! Tawba Ya Rabbi, tawba Ya Rabbi, Tawba Astagfirullah. Salam Allahu Alaikum Ó gente do Islão, o povo do conhecimento, Ó servos de Allah! Ya man Huwa yuhibbul Muhsinin – Allah ama Al-Muhsinun (os que são bons). Faz-nos a aprtir daqueles que que têm Ihsan – bondade. Quem são os que têm Ihsan? Eles são a gente bela. O que torna uma pessoa feia são os actos sujos, pecados, o não ter fé, íman. Ele veste de luz aqueles que acreditam – quem não acredita permanece nas trevas. Tawba Ya Rabbi. Envia-nos Auxiliares. Fatiha.

Esta é a primeira benção-barakah, e a primeira directiva do santo mês de Rabi-ul Thani, do ano da Hégira de 1433… O ano da Hégira de 1434 para toda a humanidade: “Sejam belos, não sejam feios. Sejam justos e não opressores. Sejam bons e não maus”. Isto é o que Allah quer – Ele diz: Sejam belos, sejam belos, não há outro mandamento. Isto é o que o Senhor quer. “Eu sou Belo e amo os que são Belos” diz Allah. Isto é tudo o que é dito na Bíblia, na Torah, nos Salmos e no Sagrado Al-Corão.

Masha Allah, Ó nosso Senhor, envia-nos Auxiliares. Concede-nos sabedoria e entendimento, para que nós possamos pensar. Para que possamos pensar. Assim o nosso Profeta (sas) diz: “Pensar por uma hora é melhor que 70 anos de devoção.” É isto, isto é o pensamento. Quão belo. Infinitos Salams ao Sultão dos Profetas (sas). A glória do glorioso Profeta (sas) aos olhos de Allah, nenhum de nós a pode imaginar. Infinitos Salat e Salam ao Amado (sas), Ó gente! Isto basta, Fatiha.

O primeiro tamdih – louvor é a barakah de hoje. Ela (a bênção) descerá e a Ira Celeste de Allah – Qahr, irá fazer desaparecer os que são feios. Apenas os belos permanecerão na terra. “Não matem, mas sim ressuscitem. Não enganem ou privem alguém do seu direito, dêem-lhe, sim, o que é seu direito, por direito. Ajudem e ganhem a sawab – a recompensa por isso. Fujam da fealdade. Sejam belos”. – Esta é a súmula de todos os Livros Sagrados. Veio até mim a ordem para declará-lo ao povo, enquanto estou no meu leito, por isso estou a informá-los hoje. Todo o mundo deve ouvi-lo, toda a gente deve ouvir e dizer “é verdade”. Se houver alguém que considere o que digo errado – aquilo que declaro do meu leito, o que chega ao meu coração, então que esse não sobreviva mais que o dia de hoje.
Tawba ya Rabbi, tawba Ó nosso Senhor. Reúne-nos com os belos, afasta-nos dos feios. Quem é o feio? Shaytan. Quem é o belo? O Sultão dos Profetas (sas) Isto basta, Fatiha.

Vídeo e versão em inglês aqui.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Entrevista a Shaykh Hassan Dyck

اعوذ بالله من الشّيطان الرّجيم ، بسم الله الرّحمان الرّحيم

Pode a música auxiliar a via espiritual? Como?

Meded ya Sayidi!
[Shaykh Hassan, antes de responder, pede o suporte e a ajuda espiritual do seu Mestre, tal como se costuma fazer na via Sufi]

A motivação, o caminho e o propósito da via espiritual é o Amor, logo, se a música criar um desejo por esse Amor, tal irá ajudar-vos a saborear mais e mais desse Amor... sempre a aumentar, sem nunca parar.
Alguns santos disseram que a criação deste Universo é baseada no som e na ressonância, e que toda a criatura, da mais pequena partícula, à maior das galáxias, tem o seu próprio som, vibração e frequência.
Quando a alma do ser humano escuta determinados sons, ela começa a corresponder aos mesmos, revitalizando-se espiritualmente, e também fisicamente. Nós somos como um instrumento musical com cordas simpatéticas - a determinados sons, vibrações e frequências, nós começamos a vibrar e o nosso coração abre-se para a corrente de Amor.

Para que tantos nomes para falarmos da mesma "coisa" (o Divino)?

Na realidade existe apenas UM - existe apenas UNIDADE. Aquilo que encontramos na Criação são os intermináveis diferentes aspectos ou aparências no qual o UM se MANIFESTA.
Portanto ELE, tem infindáveis Nomes Sagrados que são como Mantras e que podeis cantar (salmodiando o Dikhrullah a "recordação de Deus" - uma das práticas da Via Sufi), encontrado paz e reparação, através deste método.

O que é o Amor acerca do qual os Sufis falam frequentemente?

Mawlana Sheykh Nazim disse: O Amor é a água da vida. Deus criou o homem do barro e da água.  Se não fosse pela a água, o barro não teria forma. O Amor Divino é aquilo que une as nossas almas. Eis porque as pessoas se sentem tão miseráveis quando sentem que não são amadas, ansiando por esses oceanos de amor eternos.

Qual é o melhor conselho para a prática espiritual hoje em dia?

Tentem com que o vosso Senhor, o vosso Criador se alegre convosco, dando e fazendo o vosso melhor a todos, em tudo e em todo lado.
Nos nossos dias isto significa suportar e conduzir a vós mesmos e aos outros, em situações penosas, com paciência, respeito e amor, tomando isto como um teste aos frutos dos vossos exercícios espirituais.
Que Deus nos conceda a SUA Misericórdia!

(Sem) Fim.